mercoledì 25 marzo 2009

angoscia

daccanto
chissà
da dove
ode una voce
invece
scorge solo
scosse
un trambusto
apparso dal nulla
chiude la finestra
apre la porta
guarda il soffitto
soffia il naso
tossisce
niente da fare

fifa


una fitta
di angoscia
la fa
parlare
ad alta voce
invano

il nulla
non va via

2 commenti:

Germano Xavier ha detto...

Queria saber mais da língua em que foi escrito o poema, para compreender melhor o tema.

Mas eu fico com a minha sensação e confio nela.

Continuo sendo seu leitor, Myra, sempre.

Um carinho.
Continuemos...

mariza ha detto...

belíssimo poema, Myra.
a angústia retratada assim, chega a ser bela.

minha querida, você escreveu algo sobre estar aparecendo uma página estranha ao final de seu blogue, não sei se compreendi direito, porque estou visualizando tudo normalmente.

beijo, minha amiga.