domenica 29 novembre 2009

uns poemas de Iosif Landau de seu livro" Eles Eu,Outros" 1999


REPOUSO

Nasci na era
do bonde puxado a cavalo,
do lampião a gás,
dos bulevares arborizados,
em casa majestosa,
pela mão de parteira,
sob o olhar severo do rabino.

Amamentado por robusta camponesa,
no meu sangue semita correm
campos de trigo,
pastos floridos,
florestas seculares,
picos nevados.













Renasci num país
de paisagens marinhas,
com palmeiras e sabiás,
à minha alma sombria,
seu feminino encanto
prometeu vida.




Abusei da paciência divina,
que seja vagaroso meu destino,



quero fluir
preguiçoso como o rio mar,
esquecer-me
dos picos nevados,
das duas existências.

Aqui repouso.


ERA UMA VEZ

Meus doze anos, calças curtas,
pele luminosa, seda do oriente,
olhos castanhos, cerejas maduras,
perfume de macieira, inocência.

Como a mãe em vigília,
dias escorrem em silêncio,
a grama por onde ando
esconde meus passos,
estrelas longe do meu alcance,
visões, idéias e pensamentos
em minha mente flutuam,
mão do destino guia.

Lendas de reis e princesas,
Excalibur e a Dama do Lago,
abrem as portas da casa escura,
flautas e oboés, Puck dança,
flores surgem da terra,
visão floresce,
ela deitada ao meu lado, encanto

Meu rosto vincado,
mapa do meu passado,
vida de longo caminho,
já fui criança,
mãe, me abraça.


CAMPONESA



Ao pé da foto palavras húngaras,
foi tirada na Transilvânia, acredito,
vestimenta de camponesa,
pena não ser colorida,
não deixar ver a delicadeza dos bordados,
o esplendor dos fios dourados.
Na aldeia violino, violão de três cordas e rabeca
animavam a festa. Incendiaram a dança?


Três passos para a esquerda,
três para a direita e o giro rápido,
você fez coro com os participantes?
São cantos de celebração da vida,
ritos de fertilidade, você assimilou-os.
De você nasci, rude e forte como um camponês
da Transilvânia.




Elena Landau, Bucareste, 1922


SANTA

Estranho pensar em você agora
que partiu quando eu estava longe
e voltei para enterrá-la
e não senti remorso


por não revê-la ainda em vida

Estranho pensar em você agora
quando meu fim se aproxima
e nunca ter sentido saudades suas
em toda minha vida

Estranho pensar em você agora
e na minha infância
e você linda e cheia de vida
não saía do meu lado

Estranho pensar em você agora
quando eu calvo, barrigudo, cansado
ainda me vigiava, olhar atento,
sua eterna criança

Estranho pensar em você agora
já envelhecida e tão generosa
que amava aquela mulher
que roubou seu garoto amado

Estranho pensar em você agora
por vezes rechaçada,
pouco compreendida,
por quem vivia ao seu lado
e apenas sorria sem paciência.

Estranho pensar em você agora
que sonhou através da existência
e comprava fantasias
nas cartomantes e falsas ciganas

Estranho pensar em você agora
que escapava dos pesadelos
com sonhos emprestados das drogas
escondidas na bolsa por você vigiada
com ferocidade

Estranho pensar em você agora
quando mergulhada na inconsciência
e sorria, apenas reflexo diziam,
eram visões, profecias, sonhos, milagres,
adorações, iluminações, êxtases,
era o mundo que você merecia

Santa piedosa, brilhante, inteligente,
Santa minha mãe
Você amou tanto a Vida!

17 commenti:

paula barros ha detto...

Myra, é impossível não ler com lágrimas nos olhos.

Sinto saudadade dele. Ele é os poemas. Os poemas é ele. É o sentimento verdadeiro do homem que ali habitava, e se inquietava, e amava aquela cidade (Rio). Quanta história de vida.

Que saudade!!!! Eu dizia a ele quanto sentiria a falta dele.

abraço você, abraço ele.

entremares ha detto...

Senti muita coisa, mas no meio de tudo creio que basta uma palavra.

SAUDADE.

Bem haja.
Rolando

Wania ha detto...

Myra, querida!

Que coisa mais linda são estes poemas do teu irmão! Quando vida corre nestas palavras, é de emocionar! Pude sentir cada emoção ao lê-lo...
Agradeço a partilha!


Te deixo um beijo e o desejo de um domingo de muita paz, amor e luz para serenar a tua saudade!

Bjão, Amiga!

Brancamar ha detto...

Myra,

Obrigada por me dar a conhecer tanta beleza e tanta alma e tanta vida de Iosif e no fundo sua também.
Estou muito impressionada e emocionada, sobretudo com o poema à mãe.
Obrigada por partilhar tão belas lembranças.
Beijinho grande para ti. Tem um Bom Domingo

Memória de Elefante ha detto...

myra!

A poesia dele invadiu esse rio que corre em minhas veias...puro sentimento ,transborda e pulsa a vida para ser vivida!


Um beijo carinhoso

myra ha detto...

obrigada a vcs todos, sim a saudade è enorme...mas ele esta aqui...

Anonimo ha detto...

para "entremares", fui ver teu blog, pus um comentario, mas nao sei se foi aceito, espero de sim, porque veio um tal de sapo, e eu nao entendo nada...deculpa.

Chica ha detto...

qUE COISA,mYRA, SIMPLESMENTE LINDO E EMOCIONANTE TUDO ISSO! bELISSIMO. eSTOU VOLTANDO, ESTIVE FOTRA 3 DIAS, AGORA RETOMO AOS POUCOS...BEIJOS,CHICA

Anonimo ha detto...

sim, Chica, meu irmao, é, era um grande poeta e uma pessoa, formidavel, como poucos..
beijos e obrigada

Wania ha detto...

Myra!

Estou muito honrada de fazer parte da tua lista de amigos/bloguistas!
Fico muito feliz com isso e agradeço do fundo do coração todo carinho que recebo sempre de ti!


Que a nossa amizade cresça sempre firme e forte, porque amigos são como as estrelas, não precisa se ver todo o dia para saber que elas existem!


Boa semana e obrigada mais uma vez!

Bj carinhoso pra ti, minha doce Amiga!

Carmem Salazar ha detto...

Myra, enriquecestes meu dia, através das palavras do teu irmão, iluminando esse aspecto tão importante da vida de cada um de nós, que é a memória...
um bom domingo pra ti, querida!

abração

ellen ha detto...

Que lindo tudo o que escreveu myra!
Parabéns por ser essa mulher :)
(suponho que fala de si)

Beijinho

Rafael Castellar das Neves ha detto...

Myra...visitei seu site e vi um pouco do seu excelente trabalho...muito bom mesmo, meus parabéns!!

Abraços,

Rafael

João Menéres ha detto...

Desculpa vir tão depois, MYRA...
Nem sempre se pode superar a falta de tempo (às vezes, dá-se um jeito...).
Mas sabes que de ti me não posso esquecer !

A esta hora da noite, ao ler esses poemas, minhas saudades despertaram e lágrimas comovidas apareceram à janela do meu olhar...

SAUDADES, MUITAS SAUDADES...

O teu irmão é um grande poeta!
Família de ARTISTAS !

Um beijo, querida MYRA!

De cenizas ha detto...

El portugués es la lengua de la poesía, y en manos de un gran poeta... hasta las palabras que se me escapan se hacen bellas.


besos

Brancamar ha detto...

Bom dia Myra,

Venho visitra-te e trago-te um beijinho.

Até breve.
Branca

tossan® ha detto...

Realmente sono spostato con tanta poesia e un riquíssimo di lyricism! Il vostro postagem il mio amico è un'esposizione! Bacio