mercoledì 9 dicembre 2009

um poema que meu irmao me escreveu em 2002



MYRA

fofa e redonda segura minha perna
sua mente criança pensa
"principe no cavalo branco me rapte
meu irmao nao me beija"

um cavaleiro de alma escura
deixou-lhe a boneca de porcelana
e sumiu na densa bruma


rei azteca levou-a distante
dedicou-se às artes da pintura
disseminou cultura esbanjou talento

sua mao na minha perna me falta
de longe envio-lhe beijos que nao lhe dou
nao mais fofa e redonda boneca
agora é nobre senhora romana

insiste ser irma finjo indiferença
somos almas identicas e isso basta

9 commenti:

João Menéres ha detto...

Belíssimo e muito terno o poema!
Vê-se bem que és tu!
Agora, estás mais crescida, MYRA...

Um beijo lusíada.

Brancamar ha detto...

Tâo lindo e terno o sentimento que perpassa poor todo o poema.
Gostei muito.
Beijinho

Memória de Elefante ha detto...

myra!
Que amor de foto!

As palavras no fim do poema dizem tudo:
"Somos almas idênticas e isso basta"

Um beijo

TORO SALVAJE ha detto...

Este poema y la foto me han tocado el corazón.

Besos.

Chica ha detto...

Linda foto e que carinhosos poema!beijos, lindo dia,chica

paula barros ha detto...

Um poema que me emociona pela beleza da alma do poeta, pelo amor por essa irmã fofa.

beijos querida

Anonimo ha detto...

agradeço a todos vcs, beijos, besos, gracias..

De cenizas ha detto...

Me emociona... realmente, almas idénticas.


besos

Gisela Rosa ha detto...

lindíssimo Myra, um gesto puro de afecto...


beijos