martedì 13 aprile 2010

cervello




il cervello
mi gira a vuoto
sorge
un senso di leggerezza

sprofondo
avvolta
dalle fuggevoli
pareti della memoria

9 commenti:

Wania ha detto...

Myra

O cérebro não pára nunca!

Linda arte, tem movimento como o poema!



Um dia iluminado pra ti, minha amiga!
Bj grande

João Menéres ha detto...

Embora não traduza a totalidade do teu poema, entendo o sentido, MYRA.

Teu cérebro não pára. Tão pouco a tua ARTE!
A ilustração remete ao cérebro com toda a tua sensibilidade.

Beijo amigo.

TORO SALVAJE ha detto...

El mío es muy pesado.
No me deja descansar.

Besos.

Memória de Elefante ha detto...

myra!

Adorei a imagem este mesclado de cores ,nuances, ficou lindo!

A Memória é nossa referência e ainda bem que nosso cérebro está sempre inovando em arte e palavras!

Um beijo

Dayane Alencar ha detto...

a palavra "maravilha" seria desvalorizada se eu comparasse ela aos seu poemas.... sao perfeitos... *-----*

---

Dayane Alencar ha detto...

respondendo aos seus comentários:

1º -não aredito ue a senhora conheceu o Vinicius... *---*
Sou uma grande admiraora dos poemas dele...acho que já li o ilvro de sonetos dele uma 7 a 8 vezes.. *----*

2º - Bom tia, sobre a solidão que tow sntindo não eh nemuma solidão precisamente,caberia melhor a palavra vazio no lugar... eu até q tento levar a vida numa boa, mas o que me falta é uma valvula de escape desse mundo futil, entende?
apesar de viver rodeada de pessoas, observo muito a falsidade nos sorrisos e isso não eh muito agradÁvel... =/

De cenizas ha detto...

Pues... nos hace ser lo que somos... Y gracias a él nos recordamos...¡una suerte!


besos

paula barros ha detto...

Minha querida apreciando a imagem, as tonalidades estão lindas.

beijo

Baraçal-press ® ha detto...

Roda viva de cores e poesia. Bela! Abraço