venerdì 9 luglio 2010

infinito eterno


apenas vislumbrar
o mar



e sinto
um retorno
à casa

olhar a linha
que - nao - separa
o mar do horizonte

é o eterno infinito

9 commenti:

Chica ha detto...

Olhar o mar também me faz pensar...Adoro-o! beijos,tudo de bom,chica

TORO SALVAJE ha detto...

El mar es una medicina fantástica para el corazón.

Besos.

Fred Matos ha detto...

Um belo poema, Myra.
Desculpe-me o longo tempo sem vir, sem comentar. Até mesmo ao meu blog tenho ido pouco: trata-se de um desânimo que, contudo, sei que será logo superado.
Beijos

Allan Robert P. J. ha detto...

Sim, o mar, que me é tão caro. Esse trabalho seu me remete a brumas, nuvens, azul claro de céu e mar se encontrando...

:)

João Menéres ha detto...

Nuvens incógnitas, mar sem fim...
É o ETERNO INFINITO que tão bem spubeste interpretar!

Um beijo, querida MYRA (estou em falta contigo.
EU SEI !!!).

+ beijos (muitas vezes...)

Luísa ha detto...

Uma linha que nos alimenta o imaginario...

Mil beijinhos

De cenizas ha detto...

Retornar a casa... cuando el hogar ha sido el horizonte... visto, intuido o soñado...
¡Qué belleza!

Te dejé un humilde homenaje en mi blog:

http://decenizas.blogspot.com/2010/07/dos-svokdos-para-myra-landau.html

Gracias por tu gran libro, gracias por ser como eres, gracias por ser.



besos

Gisela Rosa ha detto...

a linha apenas une

impossível se-parar o per-feito


beijo Myra, obrigada pelas tuas palavras carinhosas

BRANCAMAR ha detto...

Tão lindo Myra, este teu trabalho!
Adoro o mar e o azul e este teu poema é belíssimo.
Sempre nos sentimos em casa olhando o mar.

Beijinhos, muitos.
Branca