mercoledì 27 ottobre 2010

é dificil 2


La atmosfera que a fuerza tragas , el aire que entra en tus pulmones desde el dia que comienzas a respirar. A entender, o por lo contrario, no entender esta sociedad que te rodea. Como? No dejes que te llegue demasiado tarde este “ abrir de ojos”- No voltees la espalda sin hacer algo.Un mìnimo, pero algo. Al menos pensar…. Sé que és dificil. Pero, no hay pior lucha que aquella que no se hace. Hazlo. Trata. Algo podràs hacer, al menos , gritar tu enojo con palabras, escritos, o creando belleza para limpiar quizàs un poco, este ambiente.…Rechazar “el no querer “ meterse en algo, que nos impone el terror - palabra de moda ahora – .
La vejez comienza en el preciso momento quando entra la resignaciòn , el miedo. Cuando entra el miedo al cambio, el miedo a romper una “soi-disant “ seguridad. Cuando atemorizados, o indiferentes nos conformamos, y bajamos la cabeza, cerramos los ojos, y los oidos, y nos resignamos a tragar la mierda ajena…o revolcarnos en la nuestra. Sin querer verla…

6 commenti:

João Menéres ha detto...

Claro que a resignação é uma forma passiva de estar na vida.
Temos que actuar com as forças e do modo possível !
É fundamental não ter medo de deitar esses MUROS OPACOS ao chão.

OBRIGADO, MYRA, por nos transmitires toda uma força através das palavras e da tua arte.

Um beijo.

TORO SALVAJE ha detto...

Si.
Cuando nos resignamos estamos muertos ya.
Hay que luchar por nuestras ideas.

Besos.

Chica ha detto...

Apenas resignar-se não dá certo...Só aceitar sem lutar,não dá! lindo!beijos,chica

expressodalinha ha detto...

Concordo. No entanto, coerente com o digo no post anterior, creio que nada há a fazer. Um fim de ciclo é um fim de ciclo. O hinduímo explica isto bem. De qq forma, podemos e devemos sempre lutar. Mas lutar não é resistir. Essa fase do ciclo já passou. Agora lutar é criar novos paradigmas. Criar novos modelos de sociedade. Criar novos Ritmos...

De cenizas ha detto...

¡Pura sabiduría tus palabras! Y me consta que eres cada día más joven... un ejemplo a seguir...


besos

Luísa ha detto...

Maturidade suprema!
Saber quando e onde derrubar os muros que nos atrofiam, é sinal de crescimento maturo da sua intelectualidade!
Nada surpreendida! Acho-a mesmo o máximo!
Beijinho terno