venerdì 10 dicembre 2010

foto Dominique Landau


la memoria sólo existe para uno que las tiene. Estas memorias sólo tienen importancia para mi, basta que ellas se vayan para que yo tambien me vaya... con ellas. Adonde se irán? Allà donde yo me iré. Me iré con el corazón en la mano. La mano derecha con la cual pinto. La mano izquierda, se dice que es la del corazón, no me sirve de gran cosa. Así como yà no sirven las izquierdas... . tampoco de nada me sirve este corazón viejo por fuera demasiado joven por dentro. Total: total confusión. Total contradicción. Que así fué y es y -serà? -toda mi vida.

6 commenti:

TORO SALVAJE ha detto...

Dónde iremos Myra?

Nadie sabe nada.

Besos.

expressodalinha ha detto...

Viveremos sempre confusos por não saber porque vivemos, nem por que morremos. É esse o paradoxo da vida.

Chica ha detto...

Paradoxos...Vim deixar um beijo e desejar um lindo fds,chica

João Menéres ha detto...

A tua vida não foi confusa, coisa nenhuma!
Foi uma VIDA VIVIDA.
E só assim vale a pena !
Nada de monotonias, nada de hábitos marcados pelo segundo, nem pelo minuto ou pela hora que nos ameaça a vida.

Vai,
Vai.
Vai,
mas leva o meu beijo contigo.

Luísa ha detto...

E eu, ao dar a mão, poderei dar as duas...A esquerda com que escrevo e a direita com que afago os cabelos!
Numa vida cheia de memórias, a mão com que pinta traz o melhor de si: a arte de viver intensamente!
Beijinho terno

Paula Barros ha detto...

Gosto de observar as fotos de Dominique. O olhar dela para as coisas, para a vida.

As contradições existem, sempre. A arte de viver com elas é o que nos faz diferente e pró-ativo. Mesmo que não seja fácil.

beijo