giovedì 17 febbraio 2011

aonde?


vento
cospe furioso
vento
ulula raiva
vento
assobia desafinado
vento
grita tenebroso
vento
lamento odioso
vento
sem mente
vento
chicotea
vento
deixa demente
vento
range os dentes
vento
quebra gente

felizmente
dia
o vento
porém
segue seu caminhar
demente

um 13 andar

9 commenti:

Luísa ha detto...

Varre tudo , mesmo o que não quer ser levado pela força feroz do....vento!

Belo pensar, adMYRAvel SENHORA!
Beijinhos mil

Lígia Guedes, ha detto...

Myra,

"Tudo Passa"... Até as mais ferozes tempestades.

Beijo, querida.

Chica ha detto...

Vento fortes, ventos leves, cinzas ou coloridos, sempre ventos...beijos,chica

Astrid ha detto...

Ontem aqui foi assim: vento forte, chuva, muito frio e umidade.
Esperando - e confiando - na primavera.

Lili Detoni ha detto...

Aqui os ventos são do Verão. Chuva e vento lá na rua. E eu, aqui, respiro o vento lilás de sua obra... Lindo texto querida Myra! Baci!
Lili.

TORO SALVAJE ha detto...

El viento puede con todo.
Lo odio. No me gusta nada.
Solo cuando es bueno y se hace brisa.

Besos.

João Menéres ha detto...

Cá estou eu atrazado (mas não foi o vento que me reteve...).

Belo o teu poema, mas eu preferia
"assobia desafinado"...

Li o teu comentário ao Jorge (onde também cheguei tarde /afinal onde é que chego a horas ? ) e fiquei a saber de duas boas notícias.
Estou feliz por ti, MYRA !

Um beijo para teres um bom acordar.

Paula Barros ha detto...

Myra, querida, e você ainda disse lá no blog, que não escreve, não me diga isso.

Falar do vento, da vida, da gente, dos momentos...e trazer reflexões, você sempre escreve bem.

beijo

Benno ha detto...

o vento vai a gente fica
o vento passa e une
através de um invisível braço
os corpos antes desunidos
se não fosse o vento
eu seria sozinho