lunedì 3 settembre 2012

sombras 18


é preciso acabar
com o muro de separaçao
entre dois povos irmaos

12 commenti:

João Menéres ha detto...

Tens toda a razão, MYRA !
Mas quantos países, sem muros de separação, vivem com guerras fraticidas !...
Bela obra que traduz com tanta arte uma vergonha !

um beijoooooooooooooo.

Dona Sra. Urtigão ha detto...

Urgente acabarem com distinções hierarquicas entre as pessoas, sejam religiosa, politica, "fraternais".

Maria Dias ha detto...

A sua arte mostra luzes no fim do tunel e me lembra vagalumes brilhando em noites escuras...
O artista pode gritar e expor a sua insatisfação com a arte, vamos imaginar que estes muros nao existem...Que somos livres...Todos seguindo numa só direção sem mais amarras...sem mais muros...Sem mais lágrimas sim podemos sonhar dentro da arte!

Beijos linda!

Anonimo ha detto...

Nesta sombra, vejo um busto subtil de mulher, brilhando em pontos dourados...

...E um grande rasgo de LUZ... para iluminar a mente dos que gostam de muros e separações...

Anónimo Portuguesa

TORO SALVAJE ha detto...

Ojalá que ese muro también caiga.

Besos.

Fernando Santos (Chana) ha detto...

Existe muitos que tem medo que o muro acabe....
Cumprimentos

Luísa ha detto...

Beijinhos de paz, num mundo cruel de sombras em guerra, adMYRAvel SEHORA!

João Menéres ha detto...

Belo comentário o da Luísa !

Mariza Delandrea ha detto...

Muitíssimo bom estimada MYRA!Percebo por aqui que realmente o "sol brilha para todos"!

Um grande beijo!

ana ha detto...

Querida Myra,
Nunca compreendi a existência do muro.
Mas vejo bem a vontade de o destruir. Os pontos de luz talvez ajudem a iluminar e a desbravar as sombras.
Um beijinho. :)

✿ chica ha detto...

Linda e tuas palavras totalmente verdadeiras!beijos,chica

BRANCAMAR ha detto...

É preciso sim acabar com todos os muros de separação.

Este trabalho é um belo grito de revolta que já tinha vindo ver, numa noite em que estava a cair de cansaço, mas não posso deixar de escrever agora quanto o apreciei e admirei a liberdade com que ainda gritas a justiça e o amor, minha querida.

Beijos
Branca