venerdì 14 giugno 2013

hoje me deu vontade de re-publicar isto:


domenica 15 febbraio 2009

um dia....

Un dia assim de repente comprendeu a loucura.Vem assim, pouco a poco, e de repente. Algo na garganta que nã o pode controlar. Un grito.
 Quando percebeu jà era tarde. Se sentia mal. E ao mesmo tempo melhor. Ninguém escutou. Seus pais estāo surdos. Como sempre. Que aconteceu?
Exatamente nada de novo. Nada especial. Acùmulo de emoções saturadas. Ninguém com quem se abrir. Vìu de repente esta casa, que nunca foi casa mas sim paredes e tetos abrigando gente que nada tinham que ver um com o outro, abrigando movéis, fotos alì, assim, para sempre, intocavèis, sem carinho. E assim ontem sentiu-os gritar, rir. Uma risada vengativa, uma risada de tortura. Foram chegando, chegando, se sentiu afogar. Uns movéis com mais vida que este homem e mulher que vivem (vivem? ) esperando a morte. Vivendo ( vivendo ?) esperando a vida.. Nao era culpa deles, tinham deixado seu paìs, a mãe, os amigos, a casa,  o trabalho, enfim todas suas coisas quando tiveram que sair correndo por causa da guerra, – isto ela entendeu mais tarde. Tarde demais. Naquele momento somente sentia esta enorme ausencia de tudo, de atenção, de comunicação, de uns beijos de verdade ou de uma mão,  de un carinho, de tudo,enfim
Segue:
Umas paredes cheias de écos dos gritos, de dicussões sem fim, irremediavéis que encheram esta coisa – não casa – e sua adolescencia. A fizeram fugir toda sua vida.

E se levantou correndo, atravessando este corredor comprido, comprido, escuro e todos la perseguìam.
  
Correu depois do grito, pr’a seu quarto com o coração pulando de terror.

3 commenti:

✿ chica ha detto...

Palavras fortes, cheias de intensidade...Marcantes! beijos,chica

João Menéres ha detto...

Como te compreendo, MYRA !
E que bem transmitida está essa sensação do vazio !

Um beijooooooooooooooooooooooooooooooo

ana ha detto...

Querida Myra,
Um texto arrepiante, palavras de mágoa, velocidade vertiginosa, foram estes os sentimentos despertados pela leitura.
Beijinhos. :)