martedì 7 settembre 2010

encontro - 1a parte

Ella se quedò muda. Parada viendo yà sin ver, sus telas destruidas. Hasta que su vista se nublò. Y el extrano humorpressentimiento de la manana la empujò fuera de la sala; si vistiò como automàta. Ni sabia por qué. Sòlo sabìa que tenia que escapar de aquella casa. Huir como siempre lo habia hecho. Desde nina.Por razones diferentes, pero siempre fue y es su destino. Huir.

Saliò. Fue caminando por las calles como sonàmbula. Sin rumbo.Sin meta. Nunca entendiò la agrsion.Nunca entendiò la violencia. Nunca entendiò la maldad.Como tampoco nunca entendiò los celos---Sòlo entendia el amor. Sòlo amaba el amor. Las cosas bellas. Las miradas llenas de ternura, comprensiòn, carino,las miradas inteligentes. las cosas bellas como la amistad, los àrboles, el mar. Sòlo estas cosas amaba. Sòlo èstas entendia.

12 commenti:

Chica ha detto...

Imagino o que pode ter sido ver as telas e trabalhos destruídos.

O importante é que foste forte e cresceste novamente. Um dia lindo,beijos,chica

TORO SALVAJE ha detto...

Un ángel en el infierno.

Besos.

João Menéres ha detto...

Trágicos dias esses que não voltarão mais.

Também AMO a AMIZADE, a TERNURA, as ÁRVORES, o MAR e o AMOR, MYRA.

Que um sorriso te ilumine este dia!

Beijos ternos.

Luísa ha detto...

Subindo os degraus que a elevaram até à maturidade!Pelo sofrimento e mágoa, é verdade! Mas elevaram-na! Não a destruiram!
Parabéns Myra, pela forma inteligente com que superou os precalços da vida!
Beijinho terno com adMYRAção!

expressodalinha ha detto...

Estes textos fazem um jogo perfeito com a biografia. Deviam ser lidos em conjunto.

Memória de Elefante ha detto...

A resposta está na tua arte e na tua força que não se rendem jamais!

Um beijo

BRANCAMAR ha detto...

Querida Myra,

Um grande abraço de carinho e amizade, hoje alguém me dizia "O que não nos mata fortalece-nos", por isso és uma mulher admirável e tão forte.

A maldade é incomprensível e a violência também. Tal como tu não consigo entendê-la, porque só entendo o amor.

Beijo imenso.
Branca

De cenizas ha detto...

La maldad, la agresión, se sufren... para entenderlas habría que estar tan enfermo como el que odia o destruye... mejor no entenderlo, no sea que se contagie.


besos

ma grande folle de soeur ha detto...

Hoy, tuve tiempo para leer tus textos más antiguos y estos u me hán gustado mucho... como siempre:) besos

Kovacs ha detto...

Muito bom o texto, não deixa nada a dever a qualquer romance, literatura das melhores. Principalmente esta parte: Por razones diferentes, pero siempre fue y es su destino. Huir.

Desculpe perguntar, mas este texto foi escrito agora, para o blog, ou já fazia parte de um texto seu maior e mais completo?

Paula Barros ha detto...

Myra, também não compreendo o amor, nem o ciúme. Porque às vezes em nome do amor se destrói, se quebra, se parte o que se tem de belo.


Apesar de ser uma história triste, estou gostando muito da sua forma de contar.

E sabemos da mulher forte, que mesmo fugindo, se encontrava.

beijo

Vivian ha detto...

...tudo isso é o que te fez
até aqui, este ser lindo.