sabato 5 maggio 2012

saudades de minha mae -

Hélène Landau - 1900 - 1972
Bucarest - anos 20

Rio de janeiro - 1942

Rio - 1957


SANTA - Poema do Livro EU VI - 2003 de Iosif Landau

estranho eu pensar em você agora,
que partiu quando eu estava longe
voltei para te enterrar
e não senti remorso
por não te rever ainda em vida,

estranho eu pensar em você agora,
quando meu fim se aproxima
e eu nunca ter sentido saudades suas
em toda a minha vida,

estranho eu pensar em você agora
e na minha infância
e você tão linda e cheia de vida
não saía do meu lado,

estranho eu pensar em você agora
e eu calvo, barrigudo, cansado,
ainda me vigiava, olhar atento
sua eterna criança,

estranho eu pensar em você agora,
quando já envelhecida e tão generosa
aprendeu a amar aquela mulher
que roubou seu garoto idolatrado,

estranho eu pensar em você agora,
que por vezes rechaçada,
tão pouco compreendida
por quem vivia ao seu lado
apenas sorria, sem paciência,

estranho eu pensar em você agora,
você que sonhava através da existência
e comprava fantasias
nas cartomantes e falsas ciganas,

estranho eu pensar em você agora,
você que escapava dos pesadelos
com sonhos emprestados das drogas
escondidas na bolsa vigiada
com tanta ferocidade,

estranho eu pensar em você agora

10 commenti:

✿ chica ha detto...

Linda tua mão, linda poesia e as saudades são grandes! beijos,chica

Isabel ha detto...

Lindíssimo e sentido poema que me comoveu.

A sua mãe era linda e elegante.

Que o sábado voe!
Um beijinho

ana ha detto...

Myra,
Tão bonito o poema, nem tenho palavras. :)
Beijinho grande para o sábado.

Luísa ha detto...

Belas fotos de bela SENHORA, MÃE, MULHER.
E a homenagem de Yosif a falar da MÃE é igualmente bela!
Melhor e mais bonita é a atitude de publicar este sentir de mostrar o quanto amava ambos e bradar aos céus o quanto a amor vos unia!
Beijinhos mil de mais um sábado partilhado entre amigos que se escrevem e conservam o doce sabor da vida.

expressodalinha ha detto...

Mãe há só uma. Um extraordinária homenagem.

Li Ferreira Nhan ha detto...

Lindo poema, linda mulher!
Obrigada Myra por compartilhar conosco.
Teu sábado já esta acabando...
Que o teu domingo venha mais feliz!
Um beijo!

byTONHO ha detto...



Amanhecer
a-mãe-é-ser
matriz
faz-o-ser
afaze...RES

Belo reconhecer (reconhe...SER)!

MÃE é MÃE!

:o)

EDER RIBEIRO ha detto...

Myra estou comovido pelo poema do seu mano. Não tenho palavras. Bjos.

TORO SALVAJE ha detto...

Bonito homenaje le has hecho Myra.

Besos.

BRANCAMAR ha detto...

Já havia lido este poema no blog de seu irmão e logo me surpreendeu a beleza e a ternura do mesmo.
Vossa mãe era lindíssima.

Beijos, minha querida Myra.
Branca