domenica 28 giugno 2015

brinquedos e flores para Elin...

da vida oxidada
dentro do mar seco
a flor que ele não viu
infância imortal
pressentimento
de uma imaginação morta
fado
odioso
fazer-se desfazendo-se
segue o silêncio
*


3 commenti:

Isabel ha detto...

Gosto dos dois, mas especialmente do de cima:)
Um bom domingo:)

João Menéres ha detto...

Um poema com alguma raiva, segundo penso entender.
Como a ISABEL, também opto pelo de cima.
Parece um tecido bordado cuidadosamente.

Um beijOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO

ana ha detto...

São lindos.
Gostei do poema.
Beijinho.:))