domenica 20 dicembre 2009

texto de Iosif Landau

pensando no meu comentario à minha ultima postagem ponho aqui este texto de meu irmao:



LONDRES 1940

me deu na veneta
redigir uma carta
faz anos que não escrevo


mail não é carta nem é telegrama
nem é recado não é nada
dos dedos não fluíram sentimentos
sem caligrafia traços da pena e tinta
cato na minha gaveta de bagulhos
encontro uma Mont Blanc
aniversário há quantos anos?
saio volto correndo da rua
comi tinta encho a caneta
lembranças me vêm to tempo
tinta colocada com conta gotas
o progresso caneta Parker
que beleza!
o papel de carta onde acho?
cato no baú de velhas lembranças
velhos álbuns de fotografias
herdados da minha mãe
revistas do Botafogo recortes de jornal
algumas medalhas de regatas ganhas
um par de sapatos de verniz preto
os primeiros do traje a rigor 1939
jantar no Savoy de Londres
uma sweater amarelado pelo tempo
com as cores do colégio inglês
sei que havia guardado
papel de carta do Hotel Cumberland
e trazido pra cá juro cross my heart...
e lá está o papel laranja rosa amarelo
cor de defunto e baratas secas ao lado
o nome de hotel impressão elegante
em relevo e uma insígnia nobre
papel na mesa a caneta na mão
testo a caneta desenho letras
minúscula e maiúsculas
calco forte pra baixo leve pra cima
ainda não perdi o toque escolar
e agora Zé?
a quem o que debaixo da insígnia?

relaxo na cadeira poltrona
cabeça caída no encosto
braços pendendo dos dois lados

fecho os olhos, Londres 1940
o Cumbrland em frente ao Marble Arch
do Hyde Park Oxford Street
é noite eu no cinema Odeon
sozinho em Londres
o primeiro filme de William Holden
The Golden Boy
historia boba pianista de talento
quer ser boxeador
tBoy ganha uma luta
desiste e volta ao piano
Prelúdio de Chopin com o
estouro de bombas alemãs de fora
saio o céu de Londres em chamas
os cais arrasados e incendiados
canhões anti aéreos
cuspindo fogo de Hyde Park
ninguém liga pessoas indo e vindo
alguns olham pra cima
movem a cabeça continuam
eu de pé vejo o céu em fogo
os canhões cospem bala
num staccato interminável
no hall hotel sento numa poltrona
penso nos colegas que foram ao front
quantos se salvaram ou morreram
em Dunquerque?
janto vou pro quarto 702
deito espero o silvar das bombas
se aproximar não ligo mais
dizem que se ouve o estouro
ainda não morreu
Londres tem milhões de habitantes
por que seria eu um entre tantos?

o cachorro late abro os olhos
tiros vindo do Pavão Pavaozinho
quase todos dias
quem liga pras balas perdidas?

guardo o nobre papel de carta
e o Mont Blanco
o passado está morto
em Dunquerque ou Londres
agosto de 1940

morre gente em tiroteio urbano
Rio de Janeiro novembro 2008

8 commenti:

Chica ha detto...

Nossa, Myra, quanta verdade e emoção! beijos,lindo doimingo,chica

Wania ha detto...

Myra querida!

Que lindas estas palavras escritas com a pena do coração do teu irmão!
Tocam fundo...


Amiga querida, queria te agradecer por toda esta LUZ que irradias onde passas e, principalmente, a que deixas lá no meu cantinho! Tua alegria e tuas palavras sinceras me enchem a Alma de boas energias.Obrigada, sempre!

Tua amizade foi uma das minhas belas aquisições em 2009 e isso tem um valor inestimado para mim. Espero sempre te retribuir à altura.

Um Natal e um 2010 iluminados pra ti!
Bjão

PS: hoje chega tua filha, que estes laços entre vocês se estreitem ainda mais. Fico contente por vocês! Até mais...

myra ha detto...

obrigada, Chica,
obrigada, Wania
e tantos beijos

paula barros ha detto...

Ele tinha essa capacidade incrível de ligar as memórias com os fatos do cotidiano.

Sempre inteligente, crítico, com uma visão ampla de mundo, do ser humanos, dos problemas que afligiam a alma, e a sociedade.

beijo, bom domingo.

Memória de Elefante ha detto...

Incrível o que uma guerra faz com o ser humano de tanta sensibilidade nas palavras, esta poesia explodindo no coração e lá fora os contrastes e ao mesmo tempo a memória intacta das emoções na guerrilha urbana.

Um beijo

Unseen Rajasthan ha detto...

This is a fantastic post !! Thanks for sharing..

João Menéres ha detto...

Então, a DOMINIQUE chegou?
Ainda estão a tagarelar?
Continuem...

Beijos.

Luísa ha detto...

Fiquei arrepiada ao ler o post de hoje!
Só conheço este "tiroteio" dos livros que vou lendo!
Este foi um post que de longe o senti muito de perto!
Obrigada!


Myra,
já deve sentir um sabor especial sa Natal! A familia já se reune para as celebrações natalicias.
Huuuuuummmmmmmmmmmmm! Cheira a miminho!
Votos de uma excelente temporada!